Pesquisar

Temas

Bancários de SP terão novo canal de denúncias para assédio moral e sexual

SP – Os trabalhadores de São Paulo terão, a partir desta terça-feira (13) um novo canal para denúncias no ambiente de trabalho, como os casos de assédio moral, sexual, discriminação racial e outros problemas no ambiente de trabalho. 
 
O lançamento será no dia 13/06, a partir das 10h, com transmissão ao vivo pelas redes sociais do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região através de um seminário de organização com a participação de dirigentes, médicos do trabalho, advogados e militantes do tema, para debater o assunto e definir estratégias de combate e prevenção ao assédio moral e sexual. Nessa oportunidade, também será divulgado um material sobre o tema para distribuição e campanhas nos locais de trabalho. 

A plataforma (spbancarios.com.br/canal-de-denuncias) poderá ser utilizada para os trabalhadores da base do Sindicato: São Paulo, Osasco e região.  

O novo canal de denúncias é uma forma segura, fácil e ágil para o trabalhador se conectar com o Sindicato e buscar ajuda. Através das denúncias recebidas, o Sindicato, após apuração, cobrará soluções efetivas aos problemas enfrentados pelos trabalhadores. 

A Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria dos bancários e financiários é pioneira em regulamentar a implantação de canais de denúncias aos trabalhadores, como mecanismos de prevenção. Essa conquista é fruto de reivindicações ao longo de vários anos.

O Sindicato acompanha todo o processo da denúncia, exigindo uma resolução compatível ao que foi apurado. “Todo o processo é feito com rigor e sigilo, sempre preservando o denunciante”, destaca Neiva Ribeiro, secretária-geral do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região. No ano passado, tivemos mais de 300 denúncias, que foram finalizadas após atuação sindical. Na nova plataforma teremos um formulário simplificado, com a possibilidade de envio de imagens, áudios e vídeos”. 

Assédio sexual – Na Campanha Nacional Unificada de 2022, diante das graves denúncias de assédio sexual envolvendo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o Sindicato dos Bancários se mobilizou pedindo punição e reforçando a importância das denúncias no canal do Sindicato. Na mesa de negociação com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), o movimento sindical cobrou a melhoria nos canais de denúncia e proteção às bancárias vítimas de violência. Os representantes dos trabalhadores reivindicaram maior rigor na apuração de casos de assédio sexual, com total apoio às vítimas e punição aos assediadores. A Fenaban se comprometeu a priorizar o combate ao assédio sexual, bem como as questões de igualdade de oportunidades.  Na CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) da categoria, em 2022, seis cláusulas foram aprovadas, que ressaltam o repúdio a essa prática, possibilitando que as vítimas façam denúncias a um canal específico. 

Basta! Não irão nos calar! – O Sindicato também disponibiliza à sociedade em geral, desde dezembro de 2019, o programa “Basta! Não irão nos calar!”, que busca dar suporte às mulheres vítimas de violência doméstica. 

O programa atua no sentido de assegurar medidas de apoio às denunciantes contra possíveis agressores, buscando a devida apuração e punição, seja na esfera corporativa, na esfera civil ou penal, com atendimento jurídico gratuito oferecido pelo Sindicato. Desde sua implantação,em âmbito nacional, o programa atendeu 307 mulheres vítimas de violência, e foi responsável por 153 medidas protetivas. O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região e mais oito sindicatos de bancários, filiados à Contraf, participam da iniciativa.

Além das mulheres vítimas de violência doméstica e de gênero, o projeto Basta! Não irão nos calar! também oferece atendimento jurídico gratuito e especializado para negros e negras em situação de discriminação racial; e para pessoas LGBTQIA+ vítimas de discriminação motivada pela orientação sexual ou identidade de gênero.

Compartilhe esse conteúdo