Pesquisar

Temas

FETEC-CUT/SP lança Cartilha Especial do Mês das Mulheres

Material apresenta linha do tempo de luta das bancárias e trechos da CCT voltados ao combate à violência contra a mulher

A FETEC-CUT/SP lançou na segunda quinzena de março uma cartilha especial sobre o Mês Internacional das Mulheres. Em formato pocket, o material traça a trajetória de luta das bancárias que tornou-se referência para outras categorias dentro e fora do país.

‘’É sempre fundamental destacar que cada direito conquistado em nossa categoria é fruto de gerações de mulheres que há mais de um século lutam por igualdade, justiça social e contra a violência’’, disse Aline Molina, presidenta da FETEC SP e secretária de Formação do Seeb SP.  

Aline destaca que hoje, ‘’ao ingressar em uma das 16 mil agências do país, uma bancária já conta com direitos como licença-maternidade de 180 dias, auxílio-creche/babá, auxílio para filhos com deficiência, estabilidade durante a gravidez e até 60 dias após o término da licença, além de estabilidade em caso de aborto atestado por médico, conforme nossa CCT, válida em todo o território nacional’’.

Para Ana Lúcia Ramos Pinto, secretária-geral da FETEC, o material percorre a história de mais de um século de luta das trabalhadoras bancárias e de como a categoria tem sido uma influência de coragem e persistência para além da categoria, a exemplo da participação em conquistas como a lei da Igualdade Salarial, a luta por Igualdade de Oportunidades e o enfrentamento ao assédio no ambiente de trabalho com a  Convenção 190 da OIT. 

‘’As bancárias têm sido de extrema importância na defesa de bandeiras que vão muito além da luta sindical, especialmente no combate à violência contra a mulher, um tema que conseguimos transformar em cláusulas na nossa Convenção Coletiva’’.

A cartilha está sendo distribuída às bancárias associadas aos sindicatos filiados à FETEC-CUT/SP. Elas também estão sendo presenteadas com uma bolsa térmica em homenagem ao #8M.

Mais informações sobre a cartilha podem ser obtidas diretamente com os sindicatos ou nas redes da FETEC-CUT/SP.
 

Compartilhe esse conteúdo