Pesquisar

Temas

Extinção do Novo Feas é suspensa e BB ignora tentativas de negociação

O Movimento Sindical mais uma vez procurou o Banco do Brasil na tentativa de iniciar uma negociação para buscar soluções para o problema dos aposentados egressos do Banco Nossa Caixa (BNC) e associados do Economus, que poderiam hoje estar sem plano de saúde, não fosse a suspensão temporária da extinção do plano. Mas essa extinção pode ser iminente, devido à falta de recursos do Fundo Feas. Mesmo assim, o movimento sindical busca solução junto ao BB para regularizar essa situação.

“Queremos abrir uma canal de negociação com o banco para buscar alternativas viáveis para que milhares de aposentados do Economus não fiquem sem assistência à saúde. Estamos insistindo nisso, mas o banco permanece intransigente. Deixar essas pessoas sem plano no momento mais vulnerável de suas vidas é uma desumanidade do BB”, critica Adriana Ferreira, dirigente do Seeb SP.  
A dirigente lembra que a “alternativa” apresentada pela governança do Economus, de que os aposentados migrem para o plano Economus Futuro é temerária, porque ele possui precificação individual e distinção de valor por faixa etária, o que o torna muito mais caro do que o Novo Feas.

Cassi e Previ para todos!
A dirigente destaca ainda que é uma reivindicação antiga do movimento sindical bancário que os trabalhadores egressos de bancos incorporados, como o BNC, tenham direito à Cassi e à Previ – hoje a Caixa de Assistência e o fundo de previdência são exclusivos dos bancários que ingressaram originalmente no BB. Ela lembra que o sindicalismo já conquistou inclusive acordos em que o Banco do Brasil se comprometia a implementar mesas de negociação para discutir o assunto. Esses acordos foram assinado pelo banco em 2018 e em 2020, mas até agora o banco não cumpriu o que foi acordado.

Em 2011, o Ministério Público do Trabalho (MPT) ingressou com ação na Justiça do Trabalho pleiteando isonomia de direitos entre os funcionários do banco, o que daria direito a que os egressos de banco incorporados entrassem para a Cassi e para a Previ. A ação, que foi assessorada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) foi vitoriosa nas 1ª e 2ª instâncias da Justiça, mas o BB recorreu e agora será julgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Para mais informações, procure o Departamento Jurídico do seu Sindicato

Compartilhe esse conteúdo