Pesquisar

Temas

Sindicatos da base da FETEC-CUT/SP participam de ato contra os Juros Altos na Paulista

Nesta terça-feira (20), dia em que começa a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) para definir a taxa de juros no país, a CUT, demais centrais sindicais e movimentos populares promoveram manifestações em todo o país contra as elevadas taxas no país, hoje em 13,75% – a mais alta do mundo.

Os atos, que fazem parte da Jornada de Lutas contra os Juros Altos, ocorrem em frente às sedes do BC e locais de grande circulação, para pressionar Roberto Campos Neto, presidente da autoridade monetária, a parar de boicotar o Brasil e reduzir a taxa de juros que, nos patamares atuais, joga a economia para baixo.

A direção da FETEC-CUT/SP  e os dirigentes dos sindicatos da base da Federação estiveram presentes ao ato na Avenida Paulista.

”Ao manter as taxas de juros mais altas do mundo, Campo Neto boicota o governo e impede a retomada do crescimento e geração de emprego e renda”, diz Aline Molina, presidenta da FETEC-CUT/SP.
”Enquanto trabalhadoras e trabalhadoras sofrem com o endividamento por conta desses juros, o lucro dos cinco maiores bancos do país, Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Caixa, continua em alta, aprofundando nosso abismo social”, conclui Aline.

“Nós, bancários, questionamos estas altas taxas de juros porque sabemos o quanto o mercado financeiro lucra com os juros abusivos. Sabemos o quanto cobramos do mercado financeiro para que conceda crédito para o desenvolvimento social. Sabemos o quanto Campos Neto está segurando essa taxa de juros alta para o enriquecimento dos acionistas dos bancos. Muitos deles estrangeiros, que não pagam impostos pelo lucro e dividendos das operações que possuem aqui (…) Quem tem dinheiro vai deixar de colocar [rendendo] a 13,75% ao ano para investir na produção, no emprego, na geração de renda? É óbvio que não”.
Neiva Ribeiro, atual secretária-geral e presidenta eleita do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região

A campanha permanente contra os Juros Altos é organizada pela CUT e outras centrais, como Força Sindical, CTB, UGT, CSB, NCST, CSP Conlutas, Intersindical e A Pública.

Também estão mobilizadas entidades sindicais, como a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e movimentos sociais.

Acompanhe as redes da FETEC e confira as datas e locais de novas mobilizações
#ForaCamposNeto
#JurosBaixosJá

Compartilhe esse conteúdo