Pesquisar

Temas

Caixa corta R$ 150 mi em manutenção e agências sofrem com falta de estrutura

“Economizar recursos é positivo, mas a economia não pode comprometer a qualidade, especialmente quando se trata de garantir condições de trabalho para os empregados e de atendimento à população”, avalia Leonardo Quadros, presidente da Apcef SP

 
Mais um ponto destacado pela administração de Pedro Guimarães na divulgação do balanço de 2021 foi a redução das despesas administrativas, incluindo as de manutenção e conservação. Neste item específico, a queda em comparação a 2020 foi de R$ 147 milhões, ou 14,2%. Não houve, porém, qualquer comentário sobre as condições precárias que os empregados enfrentam em muitas unidades. Várias agências estão com problemas de ar-condicionado, e há agência da Caixa em que empregados já tiveram, mais de uma vez, que utilizar mangueiras para encher a caixa-d’água por conta de problemas na bomba-d’água.
“Economizar recursos é positivo, mas a economia não pode comprometer a qualidade, especialmente quando se trata de garantir condições de trabalho para os empregados e de atendimento à população. A empresa aumentou os gastos em publicidade em 11,% do ano passado para este ano, mas isso não adianta se a experiência do cliente na unidade acaba sendo comprometida por falta de água ou de climatização adequada”, diz o diretor-presidente da APCEF/SP, Leonardo Quadros.
Denuncie a falta de estrutura – A APCEF/SP tem recebido diversas demandas de falta de estrutura nas unidades. Caso esta situação esteja ocorrendo em seu local de trabalho, entre em contato pelo e-mail sindical@apcefsp.org.br. O sigilo é garantido.

Compartilhe esse conteúdo