noticias

publicado em - 11 de janeiro de 2018

Lançado no dia 12 o Comitê Estadual em Defesa da Caixa

Evento organizativo do Comitê reuniu entidades representativas e movimentos sociais que se comprometeram com a defesa da Caixa 100% Pública, da sua função social e dos empregados; calendário de luta tem início no aniversário do banco. Participe!  

A luta em defesa da Caixa 100% Pública, sua função social de banco público e dos seus empregados – ameaçados pela política neoliberal e privatista do governo Temer – ganhou reforço de peso na quarta-feira 10, quando ocorreu a reunião organizativa, na sede do Sindicato, do Comitê Estadual de São Paulo em Defesa da Caixa Econômica Federal. O lançamento público será no dia 12, na Avenida Paulista, quando a Caixa completa 157 anos.

> Cartilha Em Defesa dos Bancos Públicos

A reunião que consolidou a criação do Comitê (foto abaixo) reuniu diversas centrais sindicais; o Sindicato; as duas federações de bancários que atuam em São Paulo, a Federação dos Bancários da CUT de São Paulo (FETEC-CUT/SP) e Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS); Associação de Pessoal da Caixa Econômica Federal de São Paulo (Apcef-SP); Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae); e associações representativas de segmentos de pessoal do banco. Também estiveram representados diversos movimentos sociais como, por exemplo, o de moradia.

“Todas as entidades presentes, que formam o Comitê Estadual de São Paulo em Defesa da Caixa, comprometeram-se com um extenso calendário de lutas, que tem início já no dia 12, aniversário da Caixa, com um grande ato na Avenida Paulista, que será o marco público de lançamento do nosso Comitê”, relata o diretor do Sindicato e coordenador da CEE/Caixa, Dionísio Reis.

O ano de 2017 foi marcado por uma intensa luta em defesa da Caixa 100% Pública, que culminou com a vitória dos empregados e movimentos sociais com a retirada do texto do novo estatuto de um trecho que transformava o banco em sociedade anônima (S/A), o que abriria portas para a abertura de capital e privatização. Entretanto, alerta que as duas primeiras semanas do ano já trouxeram sinais claros de que a mobilização em defesa da instituição e seus empregados deve se intensificar ainda mais.

“Já são diversos ataques em 2018. O governo não fez aportes na Caixa como deveria. Por outro lado, a imprensa noticiou que Temer vai utilizar recursos do banco para aprovar a famigerada reforma da Previdência. Em poucos dias, já vemos sucessivos ataques à Caixa 100% Pública, sua função social, importância política e aos empregados. Por isso a luta deve se intensificar. O Comitê Estadual nasce justamente para consolidar ainda mais a nossa unidade e aumentar a mobilização”, destaca Dionísio.

Para Leonardo Quadros, dirigente da FETEC-CUT/SP e da Apcef-SP. O aniversário de 157 anos da Caixa deve reforçar a luta pela manutenção do banco público. “Contamos com o apoio dos movimentos sociais e de todos preocupados com a manutenção do papel social da Caixa que contribui para o desenvolvimento do país, por meio de programas de geração de emprego e renda, financiamento habitacional, incentivo ao turismo, redução da desigualdade regional, dentre outros”. O dirigente lembra que, mesmo não tendo ocorrido a transformação da Caixa em S/A, a ameaça ainda persiste. “A luta deve continuar”, conclui Leonardo.

> Leia o termo de criação do Comitê Estadual de São Paulo em Defesa da Caixa

Caixa em São Paulo

No estado de São Paulo, somente Banco do Brasil e Caixa operam 26,5% do total de crédito ofertado.  A Caixa, em 2016, pagou mais de R$ 2,6 bilhões em benefícios do Bolsa Família a 1.480.090 famílias, 8,8% da população paulista. Só via programa Minha Casa Minha Vida, operado pela Caixa, foram 883 mil unidades contratadas e 600 mil entregues no estado, resultado de um investimento de R$ 76 bilhões.

 
Fonte: FETEC-CUT/SP com Seeb/SP
  • Mini botão Whatsapp.
  • Telegram

Leia Mais

FETECSP é uma marca registrada. Todos os Direitos Reservados.